Ads Top

PATOS: Primo nega envolvimento em assassinato de empresário



Arlan Andrade Medeiros, de 34 anos, primo do empresário patoense, Adalberto Júnior, vítima de homicídio na manhã desta terça-feira, 2 de janeiro, se diz inocente. A declaração veio após ele ser o principal suspeito do crime pela Polícia e ter sido conduzido, coercitivamente, a prestar depoimento sobre o caso.

Após prestar seu depoimento na Delegacia de Homicídios da cidade de Patos, em entrevista, o acusado admitiu que trabalhava junto com a vítima e tinha se afastado da empresa há dois meses devido problemas de trabalho. “Sou inocente. Faz dois meses que estou afastado da empresa”. Ao ser indagado sobre como vinha a relação com a vítima, ele afirmou que havia desentendimentos, mas sempre relacionados ao trabalho e que não havia nada pessoal.

O delegado de plantão, que está a frente do caso, Edson Pedrosa, afirmou que a principal suspeita se dá devido a uma briga de herança, é o que vem afirmando a família de Adalberto Júnior, e que já vinha acontecendo desde a morte do pai da vítima há dois anos.

Arlan Medeiros e réu primário e já foi liberado. A Polícia Civil vai continuar com as investigações e analisar as imagens da câmera de segurança para tentar identificar os condutores do crime.

Entenda o caso:
O empresário de Patos, Adalberto Júnior, foi morto por volta das 7h30 desta terça-feira, dia 2 de janeiro, quando dois homens chegaram na empresa Somadeiras, onde ele era proprietário, numa moto cor vermelha  e desceram, sem tirar os capacetes, efetuando vários tiros contra a vítima.

Adalberto estava numa mesa sentado, junto com um funcionário. Eles pediram para o funcionário se afastar e dispararam 5 tiros à queima-roupa.

Em nenhum momento foi anunciado assalto e não há informações sobre pertences subtraídos.





Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.