Unicam e Abcam não assinam acordo e defendem manutenção da greve




Duas das 11 entidades de caminhoneiros que participaram da reunião com os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria do Governo), Eduardo Guardia (Fazenda) e Valter Casimiro (Transportes) recusaram a proposta do governo. A União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam) e a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) não assinaram o documento.

O presidente da Abcam, que representa 700 mil caminhoneiros, José Fonseca Lopes, deixou a reunião no meio da tarde e disse que continuará parado. “Todo mundo acatou a posição que pediram, mas eu não. […] vim resolver o problema do PIS, do Cofins e da Cide, que está embutido no preço do combustível”, disse Lopes.

Após o anúncio do acordo, alguns caminhoneiros publicaram vídeos nas redes sociais defendendo a manutenção da greve, assim como representantes das entidades que não assinaram o acordo.

Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria do Governo), Eduardo Guardia (Fazenda) e Valter Casimiro (Transportes) se sentaram à mesa com representantes dos caminhoneiros decididos a ter um respiro na paralisação, que afeta distribuição de produtos em todo o país.

Os representantes dos caminhoneiros pedem o fim da carga tributária sobre o óleo diesel.

Veja o vídeo:





Acompanhe mais notícias do Canal do Povo
Entre em contato com a gente:
Telefone: (83) 99853 2134
WhatsApp: (83) 99853 2134
E-mail: canaldopovopb@gmail.com


Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.