Ads Top

PT pede ao TSE que Lula grave vídeos para campanha eleitoral





Os advogados do PT protocolaram, nesta 3ª feira (27.ago.2018), uma petição no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para que o candidato a presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) possa gravar vídeos para a campanha eleitoral. Ele está preso em Curitiba desde 7 de abril por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A solicitação foi encaminhada ao ministro do TSE Jorge Mussi. Leia a íntegra.
A sigla registrou Lula como candidato a presidente e Fernando Haddad (PT) como vice. Mesmo com o ex-presidente condenado em 2ª instância pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), o PT vai recorrer até as últimas instâncias. O TSE tem até o dia 17 de setembro para julgar todas as candidaturas.

“O direito de participar da campanha eleitoral, inclusive utilizar o horário eleitoral gratuito, aplica-se igualmente ao candidato cujo pedido de registro tenha sido protocolado no prazo legal e ainda não tenha sido apreciado pela Justiça Eleitoral”, consta em trecho do documento.

Os advogados do partido escrevem no pedido que “por não existir condenação criminal transitada em julgado, o ex-presidente Lula possui em sua integralidade todos os direitos políticos”.

PC do B e PT fizeram 1 acordo para que Manuela D’Ávila entre na chapa petista como vice. Caso o TSE indefira a candidatura de Lula, Haddad sobe para cabeça de chapa e ela entra na vaga de vice. Na possibilidade do Lula poder concorrer, Haddad sai da vaga de vice para dar lugar a Manuela.

O pedido foi feito pela Coligação “O Povo Feliz de Novo”, composta por PT, PC do B e Pros. Assinam a petição a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, e os advogados Angelo Longo Ferraro, Miguel Filipi Pimentel Novaes, Fernando Antonio dos Santos Filho, Rachel Luzardo de Aragão, Eugênio José Guilherme Aragão e Marcelo Winch Schmidt.


Poder360/MSN



Acompanhe mais notícias do Canal do Povo

Entre em contato com a gente:
Telefone: (83) 99853 2134
WhatsApp: (83) 99853 2134
E-mail: canaldopovopb@gmail.com


Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.