Defesa de policial que matou jovem e feriu outro em pizzaria alega legitima defesa putativa




A defesa do policial militar que matou um jovem e feriu outro em frente a uma pizzaria de João Pessoa, sustenta que o caso se trata de legítima defesa putativa, quando a pessoa acredita estar acontecendo alguma agressão que não existe. O advogado Luís Pereira, responsável pela defesa do soldado Vieira, detalhou que o acusado já se apresentou à polícia e foi liberado. “Vai aguardar o processo em liberdade”, explicou.

De acordo com o advogado de defesa do policial, o soldado Vieira estava no local por uma eventualidade. Ele teria ido pegar uma moto com o irmão que trabalhava no local. Quando estava na pizzaria, viu duas pessoas em suposta atitude suspeita e ficou observando. “Até que chegou um carro e esses dois indivíduos na moto se aproximaram do carro e ele imaginou que se tratava de um assalto. Depois que efetuou os disparos, percebeu que não se tratava de nenhum delito, continuou o advogado.

De acordo com Luís Pereira, a motivação para a fuga do local do crime foi que o policial “ficou com medo de que os amigos da pessoa viessem para cima dele para linchar. Mas em nenhum momento deixou de prestar assistência. Ele deu suporte através de terceiros”.

O soldado Vieira orientou seu irmão a acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para prestar socorro às vítimas. O próprio policial também procurou o comandante do Choque para informar a situação, de acordo com o advogado.

A Polícia Militar deve instaurar uma sindicância para apurar o fato e o soldado Vieira será afastado de suas atividades enquanto responde ao procedimento administrativo. Além disso, o policial também deve ser submetido a acompanhamento psicológico. Para o advogado Luís Pereira, é necessário no momento “lamentar a morte de uma pessoa inocente e torcer para que a outra vítima seja restabelecida a saúde”. O advogado de defesa ressaltou que o soldado Vieira tem pouco menos de dez anos atuando na corporação e possui bons serviços prestados, sem nenhuma mácula na sua ficha.

Na noite desta quinta-feira (12) dois jovens foram baleados quando chegavam em uma pizzaria localizada no bairro Jardim Oceania, em João Pessoa. O policial militar estava de folga e teria ido até à pizzaria para deixar seu irmão e avistado os dois jovens. Ele teria imaginado que os rapazes fossem criminosos, se viu na iminência de um assalto e efetuou os disparos.

Fausto Targino de Moura Júnior, de 25 anos de idade, e Rosivaldo Silva de Oliveira, com 22 anos, foram atingidos pelos disparos. Fausto acabou falecendo ainda na noite de ontem e Rosivaldo permanece internado em estado grave no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.






Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.