Ads Top

OPINIÃO: Bayeux entre a cruz e a espada

O presidente da Câmara e até bem pouco prefeito interino que ajudou a ‘desgovernar’ Bayeux ainda mais, executou nova manobra maquiavélica. O ‘dono da casa’ mostrou que nada pode ser ruim que não possa piorar quando quem manda só pensa em seu projeto pessoal.

Noquinha adiou a sessão que poderia cassar Berg Lima para o próximo dia 08 de janeiro. Com isso decretou a impossibilidade de eleição direta em caso de cassação de Berg.

Há quem diga que a cassação é certa, assim como a eleição de Noquinha para a prefeitura, pela bancada da câmara.

Algumas perguntas ficam no ar: O que faz com que a maioria dos parlamentares se curve diante de Noquinha mesmo sabendo que a população está insatisfeita com a gestão do moço? Salários atrasados, desmandos, nepotismo e tantos outros problemas não são vistos pelos parlamentares? Ninguém vai se erguer contra isso? Nenhuma ação judicial? Nenhuma manifestação pública?

A população de Bayeux está refém, de mãos atadas e provavelmente esse calvário durará mais dois anos. 

Bayeux está entre a cruz e a espada. A cruz da corrupção e a espada dos conchavos e do amor desenfreado ao poder.

Resta ao povo torcer para que algo novo aconteça e os que agora destroem a cidade sejam retirados da disputa.


Caco Pereira



Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.