Vídeo: Advogado pede prisão de prefeito acusado de agredir ex-namorada




De acordo com o advogado Diego Cazé que compõe a defesa da advogada Myriam Gadelha, ex-companheira de Fábio Tyrone, prefeito de Sousa, o representante deve ser preso preventivamente após ser acusado de agredir a então namorada. O caso foi registrado na última quinta-feira (6) durante uma festividade em João Pessoa.

Em entrevista ao programa Tambaú da Gente, da TV Tambaú, Cazé detalhou a movimentação e instruções dadas pela defesa com o objetivo de preservar a advogada. “Nós recomendamos a Myriam que nesse momento ela se resguardasse. Após as falas de ontem com o repetir dos fatos, que são naturalmente dolorosos à qualquer mulher que sem encontra nessa situação, é importante que se diga, inclusive, que nós jamais deveremos culpabilizar a vítima. Culturalmente nesse assunto, com esse aspecto de agressões psicológica e agressões físicas contra a mulher, é possível ver indagações contra a vítima. Pra evitar essa exposição além de que corajosamente ela se propôs a fazer em busca de justiça, nós da defesa estamos assumindo isso”, afirmou.

A ação foi registrada Delegacia da Mulher, localizada na Central de Polícia, bairro do Geisel, em João Pessoa. Ainda segundo o advogado, nesta terça-feira (11) vítima e testemunhas foram ouvidas. “A polícia adotou os trâmites necessários e as medidas já foram concebidas”.

Diego Cazé informou que o Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) lavrou medidas protetivas. Um processo também teria sido aberto contra o prefeito.
“O inquérito pode servir a pedido da delegada uma prisão preventiva, ou gerar uma ação penal”, afirmou.

Questionado se por ocupar o cargo de prefeito, Tyrone não foi preso em flagrante, o advogado respondeu:

A circunstância da natureza da prisão muda. Ele não foi preso pela flagrância, mas, isso não quer dizer que ele não pode ser preso. Desconheço as razões que não levaram a prisão dele no dia do fato”, atenuou.

“Hoje ele poderia ser preso em uma outra natureza de prisão que é a prisão preventiva. Ele não é só acusado nesse processo contra Myriam Gadelha, ele responde a outros processos criminais também envolvendo situações de agressão. Inclusive, uma delas, de agressão física contra a ex-mulher”, considerou.

A defesa acredita que, por conta da reincidência, o caso piora a situação dele que passa a representar um risco para a sociedade e isso pode culminar na prisão preventiva.

“Identificamos a fala do prefeito nos meios de comunicação se utilizando, talvez, de uma cerca imagem pública e etc… Isso também pode inibir a testemunha, isso pode inibir a própria Myriam de falar”, declarou.

Ela [Myriam] solicitou as medidas protetivas ao TJPB após ser ameaçada por um dos familiares do agressor. Esse tipo de comportamento também justifica uma prisão preventiva. Agora, vai passar pelo filtro da delegada que está conduzindo o inquérito se ela faz esse pedido. Mas, aos olhos da defesa, esse pedido deve ser feito e encampado pelo Ministério Público”, finalizou.

Veja a entrevista na íntegra: 




Portal T5


Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.