“Eu tô denunciando um bandido.Um bandido que foi preso e pego roubando” dispara Adriano Martins sobre Berg Lima




O vereador Adriano Martins (MDB), de Bayeux, e ex-Secretário de Infraestrutura do município, concedeu entrevista ao programa Sem Censura, da Rádio POP FM, e revelou que tem recebido ameaças por causa de sua oposição a Berg Lima.

 “Isso vem desde a época em que eu apresentei a primeira denúncia” e são ameaças de morte, inclusive exibição de armas em redes sociais.

Martins foi duríssimo nas críticas ao gestor municipal, reconduzido a prefeitura por decisão do STJ. “Eu tô denunciando um bandido. Um bandido que foi preso, pego roubando, cometendo um ato de corrupção e investigado pelo Gaeco. A denúncia na qual eu me baseei para efetuar o pedido de cassação foi feita pelo Ministério Público. Ele é um prefeito que foi preso e afastado pela justiça”, trucidou.

Martins disse que prefere não acreditar na veracidade das ameaças de morte que vem recebendo. “Eu particularmente quero acreditar que isso (as ameaças de morte) sejam inverdades. Estão tentando me pressionar. Mas eu vou ser bem sincero: do jeito que vem, pode ir também”, avisou.

Adriano revelou, ainda, que a perseguição e intimidação estão ocorrendo também em forma de multas ambientais: “Eu recebi no dia 31 de Dezembro –  e é engraçado porque a imprensa sabe antes as coisas que estão acontecendo –  duas multas: uma de 20, outra de 30 mil, alegando que o local da infração seria a rua XV de Novembro, 370, endereço da casa dos meus pais”. O vereador porém esclareceu que a residência não é vizinha a nenhuma área de reserva ambiental ou coisa parecida.

PROCURADO por BERG

Na véspera da votação do último pedido de cassação, Martins disse que foi procurado à noite por uma pessoa ligada a Berg Lima. Segundo o vereador, o atual prefeito de Bayeux dissee que não queria perder o mandato e que ele também não queria e que depois, ele (Berg) não se responsabilizaria pelo que viesse a ocorrer, porque tinha “muitas pessoas que gostavam dele”

Adriano Martins levou o caso às autoridades. “Já existe uma queixa, porque eu sei do que essas pessoas são capazes”. Adriano revelou também que Berg não teve o mandato cassado porque 6 vereadores obtiveram benefícios com nomeações. Dessa vez, cada um que votou pela manutenção do mandato do atual prefeito recebeu a garantia para a nomeação de 100 correligionários, totalizando 600 pessoas apinhadas na folha de pessoal do município.

Folha atrasada, coleta de lixo atrasada, fornecedores sem receber são algumas das dificuldades que Bayeux enfrenta no momento. Adriano Martins informou que a licitação feita para garantir a empresa e coleta de lixo na cidade foi realizada de forma errada, pelo então prefeito Expedito Pereira, mas mesmo assim foi prorrogada (aditivada), tanto por Berg, quanto pelo vice cassado.

A CASSAÇÃO DE LUIZ ANTÔNIO FOI UMA ARMAÇÃO

Adriano confirmou que a cassação de Luiz Antônio foi uma armação. “Como é que não se cassou Berg e cassaram Luiz? Se o crime de Luiz, foi por conta do de Berg? O que os vereadores acharam é que iam cassar Luiz, contavam que Berg não voltasse mais a ser prefeito e as coisas ficariam por conta da Câmara. A verdade foi essa. E deu errado, porque Berg conseguiu articular em Brasília – porque foi uma articulação”, pontuou.

Martins revelou que não tem intenção em ser candidato a prefeito, porque ainda não se julga preparado. “Não tenho intenção alguma. Eu preciso me preparar mais. Bayeux precisa de um gestor técnico e, sobretudo, de alguém que seja filho da terra e que saiba o que precisa a criança, o jovem, o pai de família e o idoso da cidade. A gente tem bons nomes na cidade, pessoas mais experientes”, desconversou.

BERG: BIPOLAR E ESQUIZOFRÊNICO

Segundo Martins, a Câmara já mostrou que não tem compromisso com o povo e só quer o poder pelo poder. Sobre Berg, foi taxativo: Berg é bipolar, esquizofrênico. Berg hoje não tem condições morais, administrativas, políticas, nem muito menos psicológicas. Berg tem que ser tratado. E não é por qualquer um não. Tem que ser pela Nasa”, tratorou.

De acordo com o parlamentar, Berg não foi cassado e foi inocentado , naquele momento , a Câmara tinha um projeto de alçar à condição de prefeito alguns vereadores que absolveram Berg: os dois presidentes da Câmara. Depois, aproveitaram e cassaram Luiz, para garantir que isso acontecesse. Mas o plano deu errado porque Berg voltou.









Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.