Ads Top

Mulher é presa após forjar sequestro e pedir R$ 300 mil de resgate ao marido




Uma mulher foi presa em flagrante após a Polícia Civil descobrir que ela forjou um sequestro com pedido de resgate destinado ao marido, no valor de R$ 300 mil. A investigação começou por volta do meio-dia de quarta-feira (16) e se estendeu até a noite.

"Ela foi localizada na cidade de Novo Hamburgo, após uma teatral libertação de seu local de cativeiro", diz o delegado João Paulo de Abreu.

Segundo o delegado, assim que a polícia recebeu a informação sobre um sequestro em Águas Claras, em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre, foi iniciada a apuração sobre extorsão mediante sequestro.

Uma negociação era feita por meio de mensagens de texto com o marido da mulher e, às 20h40, foi exigido o preço do resgate.





Diligências começaram a ser realizadas após o pedido de R$ 300 mil. Durante o trabalho realizado por policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais, ainda de acordo com o delegado, foi descoberto que a vítima de sequestro, na verdade, estava participando de associação criminosa.

Em uma das mensagens havia a informação de que a mulher estaria grávida, o que não foi confirmado pela polícia.

Quando a mulher saiu do local onde seria o cativeiro, em Novo Hamburgo, cidade que fica distante cerca de 54 km de Viamão, foi levada pelos policiais à delegacia do Deic, onde acabou presa em flagrante por estelionato, falsa comunicação de crime e organização criminosa.

Depois do registro do flagrante, ela foi encaminhada ao Departamento Médico Legal para os exames de praxe. Depois, foi conduzida ao Presídio Madre Peletier, em Porto Alegre.

Até o momento, somente a mulher foi presa.

Diretor do Deic, o delegado Sander Ribas Cajal salienta a importância de se atender de forma diferenciada os casos de extorsão mediante sequestro. "Ainda que não tenha se enfrentado o caso tradicional, o resultado obtido pela equipe foi extremamente positivo, uma vez que confirma que as metodologias de investigação empregadas estão sendo suficientes a descobrir autoria dos fatos e, no caso, o crime de estelionato".







Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.