Homem confessa que matou esposa após flagrar traição dentro de casa em SP




Preso em flagrante após cumprimento de um mandado de prisão preventiva, Adão de Carvalho Júnior, até então apontado pela polícia como suspeito de matar a ex-mulher, Bruna Aparecida Rodrigues Pediani, de 30 anos, confessou o crime. Em depoimento a polícia, ele justificou o crime afirmando que sentiu ciúmes ao ver a companheira com outro rapaz. Ele foi transferido ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Praia Grande, no litoral paulista.

Júnior foi preso em uma residência do bairro Guilhermina por equipes da Polícia Militar. Ele estava desaparecido desde que o corpo de Bruna foi encontrado, em 1º de fevereiro. Estima-se que o crime tenha ocorrido em 28 de janeiro, data em que ela desapareceu.

O suspeito ficou 21 dias foragido. Foi a PM que cumpriu o mandado após saber a localização do suspeito, que estava morando em uma residência em Itanhaém. No domingo, ele foi à Praia Grande, onde aguardava uma carona para retornar à Mogi Mirim, cidade onde ocorreu o crime.

Em depoimento na Delegacia Sede da cidade, Júnior afirmou que consumia crack com Bruna no dia do crime. Quando a droga acabou, um conhecido levou mais entorpecentes até a residência do casal, passando a consumir com eles. A droga acabou novamente e, desta vez, Júnior é quem saiu para comprar mais.

Na volta, porém, ele encontrou Bruna o traindo com o homem, que fugiu logo após o flagrante. Ainda em depoimento, ele confessou ter dado um 'mata-leão' na vítima, golpeando-a com uma faca, no peito, em seguida. Ele fugiu do local deixando a faca cravada no corpo da vítima.

Após a confissão do crime, Júnior permaneceu preso na unidade, onde foi registrado boletim de ocorrência de captura de procurado, sendo depois transferido ao CDP da cidade, onde deverá ficar recolhido e à disposição da Justiça.






Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.