Taxista foi baleado com seis tiros na região do peito e barriga, segundo IPC





O diretor do Instituto de Polícia Científica (IPC), Marcelo Burity, informou de forma preliminar que o taxista morto no bairro do Bessa, em João Pessoa, nessa sexta-feira (15), foi atingido por seis tiros. A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social (SESDS) informou que o laudo do exame do corpo da vítima será divulgado em até 10 dias após o crime, conforme o prazo legal.

A família de Paulo Damião recebeu uma declaração de óbito para conseguir realizar o sepultamento dele. No documento, consta que o condutor de táxi teve "choque hemorrágico, lesões perfuro contusas de vísceras torácias e abdominal, traumatismo perfuro contuso de tórax" causado por "arma de fogo".

Ainda segundo a Secretaria de Estado da Segurança, o prazo para conclusão do laudo pode ser prorrogado se houver necessidade de mais exames. A SESDS informou, também, que somente o laudo terá a quantidade exata dos disparos sofridos pela vítima.

Paulo Damião foi baleado várias vezes durante suposta briga de trânsito no bairro do Bessa. O suspeito que foi preso e já passou por audiência de custódia é o corretor de imóveis, Gustavo Teixeira Correa, de 42 anos. Ele teve a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva e foi recolhido no 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), por ter curso superior.

Contudo, o advogado do Sindicato dos Taxistas, Carlos Magno, argumenta que a declaração de conclusão de curso apresentada pela defesa de Gustavo para pedido de prisão especial não é válida para a concessão do direito. A defesa do taxista vai pedir a revogação dessa prisão especial e o encaminhamento do corretor ao presídio do Roger.

 Vítima

Suspeito









Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.