Ads Top

Filiados e lideranças do PSL acusam Julian Lemos de autoritarismo e falta de transparência



A situação do deputado federal e presidente estadual do PSL, Julian Lemos tem se complicado a cada dia, no que diz respeito a consolidação de sua liderança. Embora seja o ‘mandatário’ do partido no estado, Lemos parece perder força a cada dia. Não bastasse o desgaste com filhos do Presidente da República e as polêmicas nas quais o seu nome foi envolvido durante o processo eleitoral, Lemos agora se vê com problemas na condução do PSL na Paraíba.

A informação é de que diversos militantes que inclusive apoiaram Lemos estão insatisfeitos com as posturas do deputado.  O que antes eram rumores, agora são notícias muito claras. Muitos não querem mais Julian ‘mandando’ nos destinos da sigla.

A situação estaria se tornando insustentável, já que Julian teria ‘conquistado’ desafetos nas principais cidades do estado, inclusive em Capina Grande e Patos.

O CANAL DO POVO manteve contato com algumas lideranças do partido que falaram sobre as insatisfações com as posturas de Julian e sobre a necessidade de realização de eleições no partido.

Thiago Melo, que é ex-presidente do PSL Jovem PB e líder do Movimento Brasil Conservador, no estado da Paraíba, além de Líder da Direita Campina Grande PB, demonstrou muita indignação o com o que vem sendo construído por Julian como liderança partidária. A insatisfação é antiga e teria começado a surgir  já na condução dos rumos da campanha de 2018, bem como com a falta de transparência no gasto dos recursos provenientes do fundo partidário, e teria encontrado seu ápice no autoritarismo atribuído a Julian. Esses seriam os principais causadores do desgaste do ‘mandatário’, segundo Thiago.


Questionado sobre a insatisfação, Thiago respondeu de forma muito sincera e detalhada sobre o que ocorre hoje: “Existe sim uma insatisfação de por boa parte dos filiados, alguns deputados de mandato, outros suplentes e militantes, com o senhor deputado Julian Lemos. Pelo modo autoritário como o deputado tem conduzido o partido em nosso estado”, disse.

Era desejo dos filiados que o partido tivesse apresentado candidatura ao Senado Federal e ao Governo do Estado, mas segundo Thiago esse desejo não foi atendido “por interesses pessoais” do presidente do partido.

A insatisfação teria crescido em virtude da falta do que Thiago considera como sendo de transparência com o uso dos recursos provenientes dos fundos partidário e eleitoral. “Houve uma falta de transparência. Na época do pleito a direção estadual do partido não deu nenhum tipo de satisfação aos filiados de como seriam distribuídos os recursos. Pra você ter ideia teve candidato que foi eleito com 19 mil votos e recebeu R$ 350,00 do partido, e candidata que recebeu R$ 200 mil reais e teve 4 mil votos. Se isso não for favorecimento é o que?”, reclamou Thiago, que cobra explicações e investigação acerca do caso, “para honrar o falta que a direita fala”.

O moço ainda se queixa de que Julian o teria mandado procurar outro partido, caso não ‘rezasse na sua cartilha’. Ou seja, se quisesse ‘legenda’ para concorrer nas próximas eleições em Campina Grande, onde atua e pretende ser vereador, Thiago teria que obedecer as ordens do presidente.

Sammara Aguiar, que presidiu o PSL mulher Paraíba até meados de fevereiro desse ano, também falou com o CANAL DO POVO. A advogada assevera que existe um trabalho para que o partido tenha eleições nos diretórios municipais e na própria direção estadual da sigla.


Questionada se há um movimento que pretende tirar o deputado Julian Lemos do comando do PSL, a advogada respondeu dizendo que “essa é a versão dele dos fatos que não corresponde à minha. Trabalho para agregar mais pessoas de bem ao PSL e por eleições diretas para os diretórios municipais e estadual, porque não acho certo que uma pessoa decida sozinha sobre o que deve ser uma decisão de todos. Nada mais que isso. Se ele quer ser presidente, que concorra com outros interessados. Não tenho atuado contra ninguém, mas sim, à favor da democracia e do direito dos filiados de escolherem seu representante. Essa estória de movimento pra tirar alguém não existe, é vitimismo e distorção de informações. Queremos apenas eleições democráticas e limpas pro diretório”.

Sobre o quesito transparência ela adota um tom mais moderado, mas deixa claro que essa é uma das maiores bandeiras do Presidente da República Jair Bolsonaro. “Transparência é uma das bandeiras defendidas por nosso líder Bolsonaro, portanto, vamos aguardar as providências que estão sendo adotadas pelo Ministério Público, que já está diligenciando para apurar se existiram irregularidades ou erros na distribuição de recursos”, pondera.

Deputado Moacir Rodrigues

O deputado estadual Moacir Rodrigues divulgou nesta segunda-feira (8) uma nota bastante dura, na qual diz que Julian “teme o processo democrático, uma vez que a sua gestão partidária tem sido questionada por falta de critérios da distribuição dos recursos do fundo partidário e de centralização do poder, característica de coronéis e ditadores”.



Confira a nota na íntegra:

O deputado estadual Moacir Rodrigues e o Grupo Direita Paraíba, vem esclarecer que:
Promove sim, encontros e debates políticos partidários com o intuito de fortalecer o PSL no âmbito Estadual e Municipal, por acreditar no caráter democrático das discussões político partidárias e no Estado Democrático de Direito.
Não é inverdade que a Comissão do órgão diretivo estadual teria caducado, bem como todas as comissões diretivas municipais estão caducas no âmbito dos municípios do Estado da Paraíba,  pois basta uma simples pesquisa para constatar este fato.
O que causa estranheza é o fato do senhor Gulliem Lemos ter obtido no último dia 02.04.2019 a presidência de uma Comissão Provisória com prazo a expirar em 90 dias e que mesmo contra a sua vontade e seu perfil anti democrático terá que ser submetida ao  processo de convenção partidária, pois para ser presidente em definitivo terá que ganhar no voto e não em medidas ou soluções emergenciais como a obtida no último dia 02.
A expansão partidária do PSL é notória, perceptível e obtida a reboque única e exclusivamente do prestígio do excelentíssimo senhor presidente Jair Messias Bolsonaro, afinal quem foi eleito deputado federal com o slogan: O FEDERAL DO BOLSONARO?
O deputado federal Gulliem Lemos, que usa o nome de Julian Lemos, está com receio e teme o processo democrático dentro do PSL, uma vez que a sua gestão partidária tem sido questionada por falta de critérios da distribuição dos recursos do fundo partidário e de centralização do Poder, característica de coronéis e ditadores.
Por fim, enquanto existir democracia, teremos sim a ampliação do número de filiados ao Partido Social Liberal, teremos sim uma disputa democrática, e conforme reza o estatuto partidário, teremos sim eleição para presidência não apenas do diretório estadual mas para presidência de todos os  diretórios municipais!

Por um PSL Livre e Democrático, Deputado Estadual Moacir Rodrigues!



Da Redação

Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.