Jovem morta estrangulada tinha medida protetiva contra ex-namorado, diz polícia




A jovem Emeli Guergutt, de 19 anos, que foi morta estrangulada em Tabapuã (SP), já havia pedido medida protetiva e procurado a polícia para denunciar o ex-namorado Lucas Ruan por agressão, segundo a Polícia Civil. O crime ocorreu no domingo (31).

Emeli foi encontrada em um antigo lixão com marcas de violência. O ex-namorado, com quem ela tem um filho de 3 anos, foi achado por policiais e confessou o crime. Ele teve a prisão preventiva decretada.

Ainda de acordo com a polícia, a vítima possuía uma medida protetiva que impedia Lucas Ruan de se aproximar dela. No entanto, a medida expirou devido ao prazo estipulado pela Justiça.

Encontro do corpo

A mãe da jovem procurou a delegacia na segunda-feira (1º) para registrar boletim de ocorrência de desaparecimento, pois a filha tinha saído no domingo e ainda não havia retornado, segundo a Polícia Civil.

Na delegacia, um dos policiais que já tinha atendido Emeli Gurgutt quando ela foi ao local prestar queixa contra o ex-namorado decidiu investigar o caso após descobrir que a vítima não tinha ido trabalhar.

Ainda de acordo com a polícia, o policial achou estranho porque a jovem já tinha sido intimada para depor contra o suspeito, mas não comparecia, pois informava que não poderia faltar ao trabalho.

No mesmo dia, Lucas Ruan, de 20 anos, foi encontrado e levado à delegacia de Novais (SP). Questionado pelos policiais, o jovem negou ter tido contato com a ex-namorada, mas após entrar em contradição diversas vezes, confessou ter cometido o crime.

À polícia, o suspeito disse que tinha ido com a jovem em uma festa na cidade de Tabapuã. Ao retornar, ele parou a moto que pilotava, a enforcou, e escondeu o corpo dela em um terreno onde funcionava o antigo lixão da cidade.

O corpo da jovem foi encontrado somente na segunda-feira (1º). O celular dela também apreendido.

Prisão

Lucas Ruan foi preso em flagrante e levado para a delegacia de Novais (SP). No entanto, durante a audiência de custódia nesta terça-feira (2), o juiz converteu a prisão em flagrante para preventiva.

Após a decisão, Lucas foi levado para a cadeia de Catanduva (SP), onde já estava preso. Ele permanecerá à disposição da Justiça.

O velório e o enterro de Emeli foram feitos no Cemitério Municipal de Novais, cidade onde ela morava com a família, na terça-feira (2).





Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.