Ads Top

MORADORA DE CONDE: Paciente do primeiro caso de malária na Paraíba em 2019 recebe alta médica, diz HU



Recebeu alta médica na terça-feira (9) a mulher de 35 anos que estava internada no Hospital Universitário (HU) Lauro Wanderley da UFPB após ter contraído malária, considerado o primeiro caso registro na Paraíba em 2019. A informação foi confirmada pela assessoria do HU na manhã desta quarta-feira.

A mulher é moradora da cidade do Conde, no Litoral Sul da Paraíba, e estava internada desde o dia 29 de março.

Um outro homem, de 53 anos, segundo caso de malária confirmado na Paraíba em 2019, seguia, até a manhã desta quarta-feira, internado e passando por tratamento no Hospital Universitário da UFPB em João Pessoa.

Ainda de acordo com a assessoria do HU, a mulher recebeu altas após ter concluído o tratamento e ter os sintomas controlados. O protozoário identificado no exame da paciente foi o Plasmodium Vivax, considerado o de menor patogenia. A vítima não possui histórico de transfusão sanguínea, tendo adquirido a doença dentro da Paraíba.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado, de 1994 a 2018 foram notificados 175 casos suspeitos de Malária. Destes, 70 são de pacientes residentes na Paraíba e todos foram registrados como casos importados, ou seja, pessoas que se deslocaram para regiões endêmicas, foram infectadas e retornaram para o estado de residência. Nenhuma morte foi registrada.

A Secretaria do Estado e a Secretaria Municipal do Conde investigam possíveis casos. Uma comissão especial foi formada com trabalhadores da Atenção Básica e Vigilância Epidemiológica da cidade para elaborar um relatório sobre o assunto, no prazo de 60 dias desde a data da descoberta da paciente.

Segundo caso

O homem de 53 anos que segue sob tratamento no HU tem o estado de saúde estável e passa bem. Ele deu entrada inicialmente no Hospital de Ortotrauma de Mangabeira, sendo transferido para o HU no dia 5 de abril após exames realizados pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba (Lacen) confirmarem que o caso se tratava de malária.

O homem apresentava um quadro clínico de febre alta e calafrios. No sábado (6), ele já não apresentava mais febre alta e já estava em tratamento, no entanto, internado no setor de doenças infecto-parasitárias.
De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e Secretaria Municipal de Saúde do Conde, o homem com o segundo caso de malária na Paraíba em 2019 é residente do município de Tavares, mas trabalha no Conde. As secretarias chamam a atenção para os seguintes casos suspeitos:
toda pessoa residente ou que tenha se deslocado para área endêmica para malária, no período de 8 a 30 dias anterior à data dos primeiros sintomas, e que apresente febre alta e intermitente (periódica entre 42 a 72 horas) acompanhada ou não de cefaléia, calafrios, sudorese, cansaço ou mialgia;
diante da suspeita, avaliar a clínica e solicitar teste rápido para malária e/ou gota espessa (lâmina);
importante também investigar outras arboviroses como dengue, zika e chikungunya;

Malária

A malária não é uma doença comum no Estado mas ela é transmitida pela fêmea do mosquito Anopheles, que pode ser encontrado na Paraíba nas espécies An.aquasalis; An. albitarsis; An.bellator e An. Argyritarsis.

É necessário que o mosquito esteja infectado pelo protozoário Plasmodium nas espécies P. vivax, P. falciparum e P. malariae, que age na corrente sanguínea para causar a doença.

Além da transmissão por mosquito, a doença pode ser difundida por contato de uma corrente sanguínea com o sangue contaminado.





Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.