Bolsonaro nomeia pastor presbiteriano para Comissão de Ética da Presidência




O presidente Jair Bolsonaro (PSL) escolheu o pastor reverendo Milton Ribeiro, da Igreja Presbiteriana de Santos, para integrar a Comissão de Ética Pública da Presidência. É a 1ª indicação de Bolsonaro ao colegiado, que tem como função investigar ministros e servidores.

O pastor tomou posse na Comissão – que foi criada em 1999 para apurar a atuação de membros da administração pública federal e identificar possíveis conflitos de interesse– em 21 de maio. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

O religioso tem mandato de 3 anos, podendo cumprir mais 3. A comissão é formada por 7 advogados, dos quais 6 foram indicados pelo ex-presidente Michel Temer que, em janeiro de 2018, tinha 14 dos seus 28 ministros sendo alvo de processos do grupo. O colegiado não pode punir servidores e ministros, podendo apenas recomendar exonerações ou aplicar sanções administrativas.

Quando assumiu a Casa Civil, o ministro Onyx Lorenzoni demitiu 16 dos 17 servidores que trabalhavam na Comissão, gerando a paralisação das atividades. O objetivo era “despetizar” o governo. Os conselheiros, então, intercederam junto ao presidente para a recontratação.

Desde março, a presidência do colegiado está com o advogado Paulo Henrique Lucon. Segundo o jornal, ele atua para destravar ou arquivar processos que estavam parados desde 2016. Procurado, Lucon não quis comentar. A comissão se negou a tornar públicos os processos em andamento por motivos de sigilo.








Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.