O caminho dos loucos que amam



 Se enlouquecemos, é por amor a Deus; se conservamos o juízo, é por amor a vocês. Pois o amor de Cristo nos constrange, porque estamos convencidos de que um morreu por todos; logo, todos morreram. (2 Coríntios 5:13,14)

Em tempos de pluralismo de ideias e crenças, alguns tentam relegar ao cristianismo o lugar de ‘apenas’ mais um ‘sistema de fé’ ou padrão de crença. Mas ele é muito mais que isso. Ele está longe de ser ‘mais um’, pois é a filosofia, a cosmovisão, a decisão de vida daqueles que querem viver e estão (devem estar) dispostos a morrer pelo único Caminho, Verdade e Vida.

Não é um simples aglomerado de dogmas, de regras, de posturas, de padrões morais e ritos de fé. É na verdade e antes de tudo, um convite ao amor e a loucura! O cristianismo é o caminho de loucos que amam!

É exatamente sobre amor e loucura que quero falar neste breve texto.  Nos próximos parágrafos quero lhe fazer refletir um pouco sobre a maravilhosa loucura de amar a ‘Cruz de Cristo’.

Como é bom amar a Cruz de Cristo. Esse amor ao Cristo que se deu na cruz deveria mover a Igreja em todas as suas escolhas e posturas.  Dizer-se cristão só pode ser válido se houver um profundo amor e um indescritível sentimento da mais profunda gratidão ao Cordeiro que padeceu na cruz por amor incondicional.

Acredito que a igreja precisa aprender a ser Igreja e que isso só acontecerá quando de uma vez por todas, ‘tirar Cristo da margem’ e colocá-lo no trono sobre o qual os homens estão sentados. Falo sobre escolhas, músicas, pregações, posturas. A igreja para ser Igreja, precisa se dobrar em amor diante de Cristo, o Senhor!  E isso não acontece sem a “loucura da cruz”. Não ocorre sem que o ego humano seja completamente quebrado, abatido, derrubado.

Essa é uma tarefa para loucos, para malucos de boa cabeça. Para homens e mulheres que estejam dispostos a realmente abrir mão do “status” eclesiástico, das honras, aplausos, do besteirol da gospelândia ou da arrogância ortodoxa, desprovida de ortopraxia. E sem o amor a cruz nenhum homem conseguirá ser louco de boa cabeça.

Apenas pessoas que de fato amam a cruz de Cristo, se movem, respiram e adoram mediante o amor que emana do Cordeiro vivo e ressurreto, são capazes de mudar a história (veja Hebreus 11). Isso acontece pelo simples fato de que só a cruz gera esperança e esperança é uma verdade que molda o caráter. Só a loucura da cruz poderia transformar Paulo de Tarso, o arrogante oficial romano em “louco desbravador” por amor a Cristo. Apenas a louca esperança advinda da cruz poderia fazer Estevão, com intrepidez desafiar os principais doutores da Lei e morrer apedrejado contemplando os céus se abrindo para recebê-lo.

Como é bom amar a Cruz de Cristo. Essa constatação deve ser também um desafio para nossa geração. Amar Jesus e sua mensagem inevitavelmente vai nos transformar em agentes de mudança em todos os aspectos imagináveis e inimagináveis.

O mais profundo zelo pela Igreja de Deus surge em virtude da convicção de que somos lavados pelo sangue derramado na cruz. O mais intenso desejo de ver pessoas quebrantadas pelo impacto da “loucura da cruz” deve nos mover como embaixadores de Cristo, constrangidos pelo poder do seu amor, em direção a um mundo que agora carece de ouvir que em Cristo há perdão para todos aqueles que diante da loucura da cruz se fizerem loucos aos homens.

Amar a cruz de Cristo faz um dia ruim acabar com lágrimas, faz entender que cristianismo é muito mais que um sistema religioso.Cristianismo é adoração e contemplação ao imenso amor do Cordeiro que simplesmente amou.

O cristianismo é o caminho dos loucos que amam!

Que Deus nos ensine a olhar para a cruz.

Um abraço carinhoso




Caco Pereira
Louco!


Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.