Saúde investiga morte por malária na cidade de Conde




A Saúde Estadual está investigando a morte de uma pessoa por suspeita de malária. A informação foi confirmada nesta terça-feira (4). Além disso, subiu para dez o número de casos da doença na Paraíba. Todas as vítimas ou moram no município de Conde ou estiveram na cidade a passeio. Ainda nesta terça, a Secretaria Municipal de Saúde do Conde confirmou que mais duas pessoas foram diagnosticadas com a doença. Outras duas foram confirmadas nessa segunda-feira (3).

Todos os casos diagnosticados esta semana estão sendo acompanhados pela secretaria e algumas das vítimas estão sendo tratadas no próprio município, já que lá foi montada toda uma estrutura para verificar e tratar os pacientes.

No âmbito estadual, a gerente executiva de Vigilância em Saúde, Talita Tavares, ressaltou que o trabalho de busca ativa dos casos na comunidade é uma das medidas prioritárias que deve ser mantida pelos profissionais do município, oportunizando assim a identificação dos casos nos primeiros dias com o objetivo de interromper a transmissão do parasito; bem como a ida ao serviço de saúde daquela pessoa que reside no Conde ou que esteve no município no período de 8 a 30 dias anterior à data dos primeiros sintomas e iniciou febre, acompanhada ou não de cefaléia, náuseas, fadiga, anorexia, calafrios, sudorese, cansaço, mialgia e tremores.

“Essas pessoas devem realizar exame de Teste Rápido e/ou Exame Gota Espessa para malária e, se positivo, iniciar a medicação de imediato”, alerta.

O município de Conde tem equipe médica qualificada para iniciar a medicação dos casos positivos quando esses chegam sem complicações. Talita Tavares afirma que não existe a necessidade de encaminhar a pessoa para atendimento hospitalar. Essa qualificação se fez necessário, pois nem todo paciente positivado para malária necessariamente deverá ser hospitalizado.

Alerta

A Secretaria de Estado da Saúde alerta a população para incorporar as medidas de prevenção individual como rotina. O município de Conde segue com risco potencial de transmissão da doença, cabendo a todos os moradores e visitantes os seguintes cuidados contra picada de mosquitos como: o uso de calças e camisas de manga longa e de cor clara, uso de repelentes, evitar locais próximos a criadouros naturais dos mosquitos (beira de rios e lagos, áreas alagadas ou coleções hídricas, região de mata nativa), principalmente nos horários da manhã e ao entardecer, por serem os períodos do dia de maior atividade dos vetores da doença, entre 17h e 6h, uso de telas protetoras nas portas e janelas e o uso de mosquiteiros.









Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.