Relacionamento "moderno" acaba em homicídio




O auxiliar administrativo, de 23 anos, morto a facadas por Luiz Felipe de Oliveira Galdino, de 25 anos, estava separado da 'pivô' do crime há dois dias, segundo familiares. Conforme relatam, Bruno Botelho Vieira recebeu uma mensagem da mulher com a qual mantinha relacionamento ao mesmo tempo que Luiz, pedindo que ele a encontrasse no local em que morreu.

Em depoimento ao G1 nesta sexta-feira (4), o estagiário Renan Botelho Vieira, de 27 anos, relatou que o irmão havia voltado a morar com a mãe há dois dias. “Houve um desentendimento entre os três e meu irmão tinha dado um fim na relação”, conta.

Conforme apurado pelo G1, o homicídio aconteceu na madrugada de quarta-feira (3), no bairro Castelo. No mesmo apartamento moravam o operador de telemarketing Luiz Felipe, Bruno e a mulher, de 20 anos, com quem os dois mantinham relacionamento.

De acordo com o irmão da vítima, seus pais foram dormir por volta de 1h no dia do crime, quando a mulher teria enviado uma mensagem a Bruno dizendo que queria reatar o relacionamento e ficar apenas com ele.

"Então meu irmão foi encontrá-la. Mas, foi lá que Luiz teria surpreendido os dois e esfaqueado Bruno. O estranho é que o celular dele sumiu após o ocorrido. Testemunhas nos afirmam que ela tinha pego todos os pertences dele, inclusive o celular, mas ela não devolveu. Não sabemos se teve medo de ser ligada ao crime ou se realmente tem ligação”, diz Renan.

Após o crime, em uma rede social, a mãe de Bruno desabafou em diversas postagens sobre a morte do filho e, em uma delas, culpou a mulher pelo que aconteceu. "A maior culpada disso tudo foi você", disse em uma das publicações. "Ela tirou meu filho da minha casa na madrugada e levou ele pra morte', afirmou em outra postagem.

A mãe do jovem ainda relatou que o filho era muito apaixonado pela menina que seria o 'pivô' do ocorrido e por isso aceitava a situação, mesmo ficando incomodado pela mulher manter o relacionamento também com Luiz Felipe.
Relacionamento

Segundo informações de Renan, o apartamento em que moravam os três jovens que mantinham relacionamento é localizado no Morro da Nova Cintra e a locatária é uma tia da família de Bruno.

O crime ocorreu no bairro Castelo, onde mora a mãe da jovem que mantinha relacionamento com os jovens. “Testemunhas nos disseram que depois de esfaqueado meu irmão caiu no chão agonizando, e o Luiz Felipe ainda o chutou antes de fugir”.

Renan ainda afirma que o 'trisal' vivia na mesma residência há cerca de três meses, mas já se conheciam há mais tempo. "Ela era amiga da ex-noiva do Bruno e se tornou amante dele. Depois que a companheira do meu irmão descobriu, terminou tudo e ele passou a morar com os dois", afirma

"Ela já estava sendo ameaçada pelo Felipe, então queríamos entender porque ela chamou meu irmão de madrugada, mesmo sabendo os riscos que ele corria. Agora a família está desolada. Bruno era o caçula e sempre foi muito querido, era uma das pessoas mais calmas que já conhecemos. O dia amanheceu triste para todos nós”, finaliza o irmão da vítima.



G1

Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.