FÉ: Viver sob perspectiva da morte





Filipenses 1:21

            Em uma de suas músicas, o cantor country Tim MacGraw, apresenta uma interessante reflexão: “O que você faria se descobrisse que está morrendo? Como viveria? Sua vida seria diferente? Se arriscaria mais ou seria cauteloso?” Todos nós estamos morrendo. Pense nisso, desde que nascemos, nossos corpos começam o processo da morte. Alguns podem chegar a noventa anos, outros 50, e outros ainda nunca conseguirão concluir o ensino médio. É meio mórbido pensar nisso, não é? Poucos encaram essa realidade, mas precisamos admiti-la, porque nenhum de nós é imortal, nesta dimensão da vida. A menos que Jesus retorne enquanto estamos vivos, todos enfrentarão a possibilidade da morte. Então a pergunta é: Como viver, sabendo que a morte é iminente?

            No texto acima, Paulo diz que a morte para ele era lucro. Desde o primeiro dia da sua caminhada como discípulo de Cristo, seu alvo era grandioso, viver para o Seu Mestre e proclamar o evangelho. Ele nos dá orientações de como viver como se estivéssemos morrendo. Para o Apóstolo, todos os dias, ao respirar, era algo digno de celebração. Se quisermos celebrar a vida, devemos recebê-la pela fé no sacrifício de Cristo Jesus por nós, na cruz do Calvário. (II Co 6:2) Após sua conversão na estrada de Damasco, a vida de Paulo mudou radicalmente. Ele passou a viver para Cristo. Em Galátas 2:20, escreveu: “Fui crucificado em Cristo...” Aonde quer que fosse, sua vida corria perigo, sobreviveu a muitas circunstâncias adversas, desde ser apedrejado até um naufrágio. Ele soube como era estar diante da morte. Porque tinha consciência da morte, celebrava a vida e se alegrou com o fato de que tinha vida em Cristo e podia compartilhá-la com os outros. Não podemos ser egoístas, mantendo o dom da vida somente em nós, devemos transmiti-la às pessoas.

Para celebrar a vida necessitamos de:

Cuidar do que é mais importante. É uma questão de mordomia, que não se refere apenas ao dinheiro. Em Mt 25:14-30, Jesus contou a parábola dos talentos, a fim de mostrar que Deus nos deu a vida por uma razão, ela não é um acidente. Precisamos aproveitar todas as situações ao máximo para investir naquilo que tem valor eterno. Seremos tolos em pensar que a nossa única razão de existir é acumular bens, possuir fama e poder, desfrutando dos prazeres efêmeros da vida. Deus tem planos maiores. Ele quer investir sua vida na vida dos outros, para que as necessidades deles possam ser atendidas. Por isso, ore pelas necessidades dos outros, abrace as pessoas, demonstrando seu amor, perdoe-lhes mais, ajude-as em suas necessidades materiais, começando pela sua família sanguínea. Infelizmente, muitos de nós não vivemos assim, somos egoístas e só queremos nossos desejos atendidos. O que Deus o chamou para fazer? Você está executando a Sua vontade? Se vamos viver a vida como se estivéssemos morrendo, precisamos celebrá-la, cuidando do que é mais importante.

Glorificar a Deus em todas as coisas – Leia I Co 10:31 – 11:1, Em última análise, o que quer que façamos, como cristãos, devemos fazer para o Salvador, cujo nome confessamos. Deus merece o nosso melhor, deve ser honrado e glorificado em tudo o que fizermos. Ele não espera que sejamos perfeitos, porque somente Ele é, mas deseja que nos entreguemos completamente Àquele que nos trouxe da morte para a vida, por Sua graça. Pense nisso: Somos pecadores por natureza e merecedores do inferno, Deus enviou Seu Filho para pagar a nossa dívida e nos dá a vida eterna, então, Ele merece ser honrado em nossas vidas. Por isso, Paulo afirmou que seu viver é Cristo: Tudo o que falo, penso e faço deve glorificar o nome de Jesus.

Encerro com a experiência do Pastor Bobby D., para nossa reflexão. “Tudo começou com um telefonema, a quase três anos atrás, de uma amiga da faculdade. Ela me perguntou qual foi a última vez que eu tinha conversado com o irmão Larry (diretor da BS, no Jones Jr College, meu mentor e pai na fé). Minha resposta foi que tinha bastante tempo, e que devia um telefonema para ele. Ela disse: você precisa ligar logo, o câncer voltou em seu físico, e não há expectativa que viva por muito tempo. Imediatamente liguei para ele, e perguntei o óbvio: Como você está? Ele disse: “Bobby, as coisas não vão bem.” Ele compartilhou como o câncer estava agressivo, e falou sobre as poucas possibilidades de tratamento, mas disse que queria me ver, e planejarmos uma viagem o mais rápido possível. Antes de desligar, ele compartilhou três pedidos de oração: 1. Para Deus curá-lo. Um lembrete para mim, deveria celebrar a vida; 2. Para que sua família fosse cuidada. Um lembrete para mim, deveria cuidar daquilo que é mais importante; 3. Que Deus fosse glorificado todo o tempo, pois isso era o mais importante para ele. Um lembrete para mim, devo glorificar a Deus em todas as coisas. Nossa viagem estava planejada para fevereiro de 2002, uma semana e meia antes da viagem, minha esposa me ligou, enquanto estava no trabalho, e disse: “BL morreu hoje.”

Viva cada momento da sua vida com intensidade, buscando o que é mais importante, e glorificando a Deus, pois caminhamos paulatinamente para a morte.




Rev. Liberato Pereira dos Santos



Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.