OPINIÃO: Dallagnol precisa ficar




Nesta terça-feira (13), o Conselho Nacional do Ministério Público pode discutir eventual afastamento de Dallagnol. Mas o que é e como é formado este Conselho? O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) diz, em sua página na Internet, que “atua em prol do cidadão executando a fiscalização administrativa, financeira e disciplinar do Ministério Público no Brasil e de seus membros, respeitando a autonomia da instituição”. E continua: “O órgão, criado em 30 de dezembro de 2004 pela Emenda Constitucional nº 45, teve sua instalação concluída em 21 de junho de 2005. A sede fica em Brasília-DF.”

É mesmo, CNMP? Atua em prol do cidadão? Então por que a cabeça de Dallagnol está a prêmio? Hum?

Nunca é demais lembrar que o CNMP foi criado em pleno governo Lula. Seria divertido, portanto, dar um google na vida pregressa dos seus 14 atuais conselheiros, não é verdade? Hashtag fica a dica.

Voltemos à composição do CNMP. Presidido por Raquel Dodge, procuradora-geral da República, o Conselho é composto assim:

   4 (quatro) integrantes do MPU (Ministério Público da União)
   3 (três) membros do MPE (Ministério Público dos Estados)
   2 (dois) juízes, indicados um pelo Supremo Tribunal Federal e outro pelo Superior Tribunal de Justiça
   2 (dois) advogados, indicados pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil
   2 (dois) cidadãos de notável saber jurídico e reputação ilibada, indicados um pela Câmara dos Deputados e outro pelo Senado Federal.

Daí eu pergunto, nobre leitor: por que querem a cabeça do procurador Deltan Dallagnol. Qual foi o crime do rapaz? Azedar o angu do consórcio político criminoso que tomou de assalto o Estado e as instituições brasileiras? Querem que o coordenador da Lava-jato seja afastado das funções, enquanto os bandidos do estado deitam e rolam sem nenhum obstáculo? Pensemos juntos: desde junho – há 3 meses – ele e o ministro Sérgio Moro estão sendo alvo de uma campanha difamatória, do qual foram vítimas, tendo a privacidade destruída e a credibilidade abalada junto à opinião pública. E tudo isto a troco do quê?

Os sacanas de plantão atuam nas sombras, como os verdadeiros marginais que são, enquanto a militância caolha exige uma postura de freira de Moro e Deltan! Está na cara que o afastamento do procurador é um claro golpe na única Força Tarefa que foi capaz de aterrorizar os poderosos do Brasil.

Eu torço para que o terror continue. Eu e você, leitor, dormimos tranquilos à noite, porque não tramamos nada contra ninguém. Nada mais justo que os peversos, maquiavélicos e imorais se torturem no leito, imaginando que às 6 da manhã, a Polícia Federal poderá acordá-los do sonho de impunidade.

Dallagnol precisa ficar. Quem tem que sair são os representantes de todos aqueles que tiram o sono da gente de bem do Brasil.


Jornalista, publicitária e Mestre em Linguística.
Crédito foto: Fernando Frazão / Agência Brasil

Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.