Prefeito diz que teve celular clonado, e secretário cai em golpe de R$ 60 mil




O prefeito Jairo Halley de Moura Cruz (PSDB), da cidade de Serra Grande, no Sertão paraibano, procurou a Polícia Civil para denunciar que teve o número do celular clonado. O crime foi percebido na última quarta-feira (7). Ele também denunciou que, por causa disso, um secretário fez transferências no valor total de R$ 60 mil, após ser enganado por golpistas.

De acordo com a Polícia Civil, no dia da denúncia o prefeito contou que desde o dia anterior percebeu que o celular estava sem sinal. Ele contou que achou inicialmente que seria um problema com a operadora de celular que ele usa. Porém, depois percebeu que se tratava de um golpe.

Segundo o prefeito, após o celular ficar sem rede, o secretário de finanças da Prefeitura de Serra Grande recebeu mensagens do número do prefeito por um aplicativo pedindo para que ele fizesse transferências bancárias. Conforme o relato do prefeito, primeiro foi feita uma transferência no valor de R$ 45 mil e depois uma segunda transferência no valor de R$ 15 mil, totalizando R$ 60 mil. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

Outros casos

Esse não tem sido o único caso na Paraíba em que prefeitos relatam que tiveram número de celular clonado. Também na última quarta-feira, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), denunciou que teve o WhatsApp clonado. O boletim feito por Romero Rodrigues relata que os suspeitos chegaram a solicitar um pagamento no valor de R$ 80 mil, usando o aplicativo.

Em 2018, os prefeitos dos municípios de Serra Branca, no Cariri, e Mogeiro, no Agreste, denunciaram que foram vítimas de golpes por meio de clonagem do WhatsApp e que, desse modo, os suspeitos tentaram roubar dinheiro das Prefeituras.

No caso de Mogeiro, cerca de R$ 50 mil foram roubados dos cofres públicos. Na ocasião, o advogado Johnson Abrantes informou que os prefeitos de São Sebastião de Lagoa de Roça, Massaranduba e Juazeirinho também relataram terem sido vítimas do golpe.




Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.