Furacão elimina Grêmio nos pênaltis



Com a vantagem de 2 a 0, conquistada no jogo de ida, o Grêmio podia até perder, na noite desta quarta-feira, que avançaria à grande decisão da Copa do Brasil. No entanto, do outro lado estava o Athletico Paranaense, que contou com o fator casa para pressionar e deixar tudo igual no placar agregado, 2 a 2, levando a disputa da vaga para os pênaltis. Nas cobranças, o Furacão levou a melhor e venceu, por 5 a 4.


om a vitória nas penalidades, o time paranaense fará a final da Copa do Brasil contra o Internacional, que derrotou o Cruzeiro no Beira-Rio por 3 a 0.

Furacão pressiona e sai na frente

O Athletico criou o ambiente para reverter a vitória do Grêmio construída em Porto Alegre. O Furacão, empurrado pela torcida, pressionou o adversário durante todo o primeiro tempo.

Só viu a situação estremecer em um lance dentro da área. Aos quatro minutos, Alisson cobrou escanteio e encontrou Geromel, que, de cabeça, encontrou o braço de Wellington, mas o árbitro Wagner Magalhães, após auxílio do VAR, nada marcou. 

Depois disso, só deu o Rubro-Negro. Até que aos 16, Rony avançou pelo lado esquerdo e ganhou espaço. O atacante cruzou Bruno Guimarães, que chutou no travessão. A bola sobrou nos pés de Nikão, que bateu para o gol e abriu o placar na Arena da Baixada.

Da metade para o fim da primeira etapa, os paranaenses foram em busca da igualdade no placar agregado. No entanto, do outro lado estava a forte marcação gremista. O jeito foi arriscar tiros de média distância. Lucas Halter e Bruno Guimarães tentaram, mas sem sucesso.

Na volta do intervalo, o Athletico imprimiu um ritmo ainda mais intenso. Logo no primeiro minuto, Khellven levantou na área, Geromel desviou de cabeça e a bola sobrou para Léo Cittadini. O meia, quase na marca do pênalti, finalizou de perna esquerda e mandou para fora.

Até que aos três, o Furacão trocou passes na entrada da área do gaúcha, até encontrar Rony pelo lado esquerdo. O atacante fez o drible e cruzou, com açúcar, para Marco Rubén, que antecipou Pedro Geromel e ampliou a vantagem rubro-negra na partida, igualando o placar agregado em 2 a 2.

A situação dos gremistas mudou de confortável para delicadíssima em poucos minutos. Kannemann derrubou Léo Cittadini, com carrinho por trás, e foi expulso. Com um jogador a menos, restou ao Grêmio se defender e explorar as saídas em velocidade.

Aos 21, Jean Pyerre tocou para Pepê, que avançou para o ataque. O atacante tabelou com Alisson, carregou pela direita e rolou para Matheus Henrique. O chute do volante desviou e saiu em escanteio.

Pouco depois, o time comandado por Renato Portaluppi chegou a balançar as redes. Alisson cruzou na área e David Braz dividiu com a defesa adversária para mandar para dentro. Porém, o defensor visitante estava em posição de impedimento. Nada feito.

Nos minutos finais, o Athletico Paranaense partiu para a pressão. O técnico Tiago Nunes mandou a campo todas as opções ofensivas à sua disposição. O Tricolor gaúcho, por sua vez, conseguiu segurar a blitz adversária e administrou o tempo até o apito final, levando a decisão da vaga na final da Copa do Brasil para os pênaltis.

Nas primeiras quatro cobranças, 100% de aproveitamento para os dois lados. Até que na última batida, o Furacão converteu com Marco Rubén e o Grêmio acabou desperdiçando com Pepê, o que colocou o time paranaense na grande decisão da Copa do Brasil. 




Foto: Miguel Locatelli / Site Oficial


Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.