A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Gerência Executiva de Vigilância em Saúde (Gevs), promoveu, na manhã desta segunda-feira (9),  uma apresentação do panorama do sarampo no Estado para secretários municipais e gestores de saúde. O encontro, que aconteceu no auditório do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde da Paraíba (Cosems-PB), contou com a participação de mais de 60 profissionais.

Na oportunidade, a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares, falou sobre a situação do sarampo na Paraíba e, em âmbito geral, no Brasil. Ela explicou que o alerta de complicações da doença vale, principalmente, para bebês e crianças com deficiência de vitamina A, desnutridos, gestantes, imunodeprimidos e adultos jovens entre 20 e 29 anos.

“Todos os casos são prioridade para a Paraíba. A ideia é que todos os municípios estejam com a vigilância ativa com os casos suspeitos e que notifiquem imediatamente, mesmo que esses casos sejam descartados depois”, informou Talita. 

A gerente executiva reforçou também a importância da vacinação dos públicos prioritários contra o sarampo. As campanhas de atualização das cadernetas serão divididas em etapas, em virtude da alta produção dos insumos. “A autoridade de saúde precisa entender que a meta do Ministério da Saúde, neste momento, é diminuir as complicações e os óbitos em crianças menores de cinco anos de idade porque elas são mais suscetíveis às complicações e óbitos por causa da doença. Posteriormente, terão outras fases de vacinação previstas para novembro deste ano e fevereiro de 2020”, explicou.

Talita falou ainda sobre a importância da divulgação das ações, inclusive com o apoio da mídia. “As rádios, a partir de hoje, vão veicular um spot com um chamamento aos pais e responsáveis para vacinarem suas crianças e, assim, manter a Paraíba livre do sarampo”, disse.

A explanação sobre a situação do sarampo no Estado fez parte da pauta da 5ª Assembleia Geral Ordinária do Cosems-PB, que abordou outros temas como monitoramento de cirurgias eletivas, mamografias na Paraíba, aquisição de câmaras refrigeradas para as salas de imunização nos municípios.

Dados - Na Paraíba, até o dia 4 de setembro, foram realizadas 83 notificações suspeitas de sarampo, destas, 29 foram descartadas, ficando 54 em investigação, das quais 20 com a primeira amostra IgM reagente ou indeterminada.

“O Estado de Pernambuco, nosso vizinho, teve 12 casos confirmados. Também por este motivo o alerta de vigilância para o nosso Estado. Até o momento, a Paraíba atingiu 86,17% de cobertura vacinal, o alerta para os gestores é intensificar essa vacinação e fazer uma busca ativa do público-alvo”, apontou Talita Tavares.

Notificação - A notificação do caso suspeito de sarampo é obrigatória, devendo ser feita até 24 horas.
“Todos os casos suspeitos de sarampo devem ser notificados e comunicados à SES. Para facilitar, disponibilizamos um canal gratuito para ligações por meio do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs). De segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30, o contato pode ser feito gratuitamente pelo 0800 281 0023”, reforçou a gerente executiva.
 



SecomPB




Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.