Na contramão da moralidade e da sensibilidade, Berg Lima veta projetos de Prevenção ao Suicídio e Combate à Corrupção; Vereadora apresenta 'Voto de Repúdio'




O prefeito de Bayeux, Berg Lima vetou dois importantes projetos de autoria dos vereadores Netinho Figueiredo e Josauro Pereira. Combate à prática da corrupção e prevenção ao suicídio são as temáticas vetadas pelo gestor do município.

A decisão de Berg Lima parece estar na contramão da moralidade, pois rejeita um projeto que tem por objetivo o combate à corrupção no âmbito municipal, evitando que pessoas com a ‘ficha suja’ sejam nomeadas para cargos da administração direta nos poderes Executivo e Legislativo.

O gestor ainda demonstra falta de sensibilidade com uma causa tão importante como é o combate ao suicídio. O projeto de Netinho promove o zelo pela vida, pela dignidade da pessoa.

ENTENDA OS PROJETOS

O Projeto de Lei nº 29/2019, de autoria do vereador Josauro Pereira criava a "ficha limpa municipal" na contratação de prestadores de serviços e nomeação de servidores a cargos comissionados no âmbito da administração direta, indireta, autárquica e fundacional do Poder Executivo e do Poder Legislativo de Bayeux.

Já o Projeto de Lei nº 33/2018, de autoria do vereador Netinho Figueiredo cria o Plano Municipal de Prevenção ao Suicídio e tem por objetivo principal a implementação de políticas públicas de prevenção a este mal.

Sobre esse projeto, o poder Executivo diz que ele é “contrário ao interesse público”.


REAÇÃO

Os vetos foram recebidos com indignação pelos vereadores e pelo público presente na galeria da Casa Severaque Dionísio. Populares chegaram a dizer que Berg é “amigo da corrupção” e “não se importa com a vida de ninguém”.

A vereadora Luciene de Fofinho demonstrou-se bastante indignada e apresentou ‘VOTO DE REPUDIO’ ao prefeito, em virtude do veto Projeto de Prevenção ao Suicídio.

“Hoje apresentamos um voto de repúdio por conta de um veto do prefeito, onde ele deveria dar mais atenção a esta importante temática. Mas ele simplesmente desconsiderou e vetou um projeto de interesse público. Repudio essa omissão do Poder Executivo com um problema tão grave e que tanto mal tem causado”

TRÂMITES LEGAIS

Os vetos do prefeito serão enviados à Comissão de Constituição, Justiça e Redação – CCJR, que tem um prazo de 30 dias para oferecer seu parecer. Em seguida volta ao plenário que decidirá se mantém ou derruba os vetos do prefeito.






Da Redação



Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.