VIOLÊNCIA: Menina é morta por bala perdida, na Região Metropolitana do Recife




Uma criança morreu após ser atingida por uma bala perdida, por volta das 12h deste domingo (26), em uma comunidade conhecida como Vila do Sesi, na Charnequinha, no Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife. Segundo a Polícia Civil, a vítima foi Ellen Vitória Ferreira da Silva, de 10 anos.

As investigações foram iniciadas pelo delegado Paulo Dias, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Ele contou que a menina foi atingida durante um tiroteio entre grupos criminosos.

"Foi uma disputa pelo tráfico de drogas que resultou na morte de uma inocente. Uma gangue invadiu o local. Pela quantidade de estojos que foram encontrados, a gente pode dizer que de três a cinco pessoas participavam da troca de tiro", afirmou o delegado.

Moradores da região, que pediram para não serem identificados, relataram ao G1 que, desde sexta-feira (24), escutam barulho de tiroteio na comunidade.

Inicialmente a polícia acreditava que a menina estava brincando na rua quando foi atingida pela bala perdida, na Rua Quatro, conhecida como Rua da Linha.

Ao conversar com os parentes dela, no entanto, eles constataram que a criança seguia com o tio para o carro da família quando foi baleada na testa.

No local do crime, as equipes do 18º Batalhão de Polícia Militar (BPM) e do DHPP encontraram pelo chão munições de diversos calibres e marcas de tiros em paredes e portões de imóveis.

O perito criminal Diego Nunes, do Grupo Especializado de Perícias em Homicídios (GEPH), afirmou que o calibre do disparo que tirou a vida da menina poderá ser confirmado apenas após análise no Instituto de Medicina Legal (IML).

As cápsulas encontradas foram coletadas para análise do setor de balística. "Recolhemos estojos [munições deflagradas] de pelo menos quatro calibres diferentes, indicando de que dois grupos trocaram tiros na rua”, declarou. A investigação será conduzida pela 14ª Divisão de Homicídios Metropolitana Sul.

No início da tarde deste domingo, um pouco após o crime, eles também observaram o helicóptero da Secretaria de Defesa Social (SDS) sobrevoando a localidade. A aeronave e equipes do 18º BPM realizavam rondas para tentar identificar os envolvidos no tiroteio.


G1


Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.