CONDE: Secretaria de Saúde culpa médicos da Central de Regulação do SAMU em caso de paciente que teve atendimento negado


 


A Secretaria de Saúde Conde emitiu uma nota na tentativa de explicar o caso ocorrido nesta quarta-feira (5), quando segundo a família, um paciente portador de necessidades especiais teria deixado de ser atendido pela médica plantonista.

RELEMBREURGENTE: Morre paciente que teve atendimento negado na Policlínica de Conde

Na nota, a Secretaria de Saúde diz que “os médicos da Central de Regulação do SAMU, sob a coordenação da Secretaria de Saúde de João Pessoa, negaram-se a levar o paciente a uma unidade de saúde intensiva da Capital”.

LEIA MAIS: CAOS NA SAÚDE DE CONDE: Só depois de registrar queixa em delegacia paciente é atendido na Policlínica municipal

O paciente veio a óbito na tarde desta quinta-feira (6).

Confira a Nota:  

Nota Pública da Secretaria de Saúde de Conde

Assunto: Atendimento do paciente J.G.A. da S. pelos serviços de saúde municipais: base descentralizada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e Pronto Atendimento da cidade.
 A Secretaria de Saúde de Conde informa que prestou atendimento de saúde contínuo durante o período em que o paciente esteve sob seus cuidados. As equipes de saúde estavam completas e em nenhum momento o paciente sofreu descontinuidade dos cuidados.

Durante este período, houve divergência médica entre a equipe de Conde e a do SAMU sobre o tipo de serviço de saúde que seria mais adequado ao paciente, dada a gravidade do seu quadro clínico: se o Pronto Atendimento de Conde ou uma unidade de saúde intensiva da capital, à qual a equipe do SAMU local poderia levar o paciente, desde que autorizado pelo médico regulador de João Pessoa.
A decisão em casos como este é da alçada dos profissionais médicos, cuja autonomia é resguardada pelo Código de Ética Médica. Portanto, a decisão cabia somente a eles. Em função do impasse, a enfermeira da equipe local do SAMU de Conde resolveu fazer um boletim de ocorrência para resguardar sua responsabilidade técnica, tendo tomado essa atitude por iniciativa própria.
Os médicos da Central de Regulação do SAMU, sob a coordenação da Secretaria de Saúde de João Pessoa, negaram-se a levar o paciente a uma unidade de saúde intensiva da capital, como solicitado pela médica plantonista de Conde. Diante desta negativa, a plantonista de Conde recebeu o paciente por decisão própria, sem qualquer interferência política, e passou a buscar uma vaga nos hospitais com cuidados intensivos da capital, o que só conseguiu às 21h10 do dia, tendo o paciente sido encaminhado ao Hospital Municipal Santa Isabel.

Conde, 06/02/2020.

Secretaria de Saúde da Prefeitura de Conde/PB


Da Redação



Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.