“O governador tem que prestar contas e não pode calar o povo”, diz Michele Assis




Em ‘nota pública’, a fundadora do movimento Direita Paraibana Michele Assis, comentou o episódio no qual foi conduzida à delegacia para prestar esclarecimentos acerca da manifestação que realizou nesta sexta-feira (01).
“Em momento algum a minha atuação “incentivou” desobediência aos decretos estaduais ou municipais ou às leis de meu país”, disse.

Michele acrescentou: “Quero deixar claro que nenhuma forma de pressão calará a minha voz, que continuará denunciando o que estiver errado e, neste sentido, conclamo o povo paraibano para jamais aceitar ser acuado como se não tivesse direitos. Ratifico tudo que disse na gravação: nosso governador vem há mais de 40 dias impondo uma quarentena irrestrita, causando enormes prejuízos materiais e morais ao povo paraibano e, até agora, demonstra incapacidade de apresentar um plano que compatibilize o equilíbrio socioeconômico da população paraibana”.

Confira a nota na íntegra:


NOTA PÚBLICA

O GOVERNADOR TEM QUE PRESTAR CONTAS E NÃO PODE CALAR O POVO


A despeito de publicações em blogs jornalísticos neste sábado de que eu teria sido “presa” na data de ontem, 1º de maio, por “incentivar quebra do isolamento social” venho a público me posicionar perante a população paraibana.
Em momento algum a minha atuação “incentivou” desobediência aos decretos estaduais ou municipais ou às leis de meu país.
Há anos, quando fundei a Direita Paraibana com pouquíssimos jovens patriotas, o intuito era de combater o que se mostrasse em desacordo com as leis e com as promessas de campanha feitas pelos governos federal e estadual e municipal da Paraíba. Como princípio basilar de nosso movimento, professamos o respeito à Constituição e às leis e, se há quem as desrespeite, tem sido os governantes e alguns políticos de nosso Estado os quais, com atos autoritários demonstram o que já se sabe que é o continuísmo dos desmandos em nosso Estado.
Basta ouvir a mensagem transmitida ontem, dia do trabalhador, através do carro de som, para se concluir que as publicações dos folhetins de hoje, dia 02 de maio de 2020, em sentido contrário, não passam de uma tentativa de me intimidar e desqualificar e, por outro lado, para amedrontar a população insinuando que cidadãos podem ser presos se criticaram os políticos. Portanto, a abordagem foi “um ato político” e não jurídico ou policial.
Quero deixar claro que nenhuma forma de pressão calará a minha voz, que continuará denunciando o que estiver errado e, neste sentido, conclamo o povo paraibano para jamais aceitar ser acuado como se não tivesse direitos. Ratifico tudo que disse na gravação: nosso governador vem há mais de 40 dias impondo uma quarentena irrestrita, causando enormes prejuízos materiais e morais ao povo paraibano e, até agora, demonstra incapacidade de apresentar um plano que compatibilize o equilíbrio socioeconômico da população paraibana.
Tendo em vista indícios de uso político da pandemia para se obter verbas federais e, inclusive para se isentar de dívidas para com a União, ressalto, ainda, que ao lado de nossa equipe estamos nos preparando para exigir dos governos estadual e municipal as prestações de contas das despesas que têm anunciado em decretos imputados às necessidades de atendimento de demandas da pandemia do coronavírus, sob pena de denunciarmos ao Ministério Público ou mesmo judicializarmos oportunamente. É direito da sociedade que o gestor público preste contas e seja responsabilizado pelo uso indevido de verbas do erário. Nos chama a atenção as contratações e aquisições dispensando-se licitação, utilizando a COVID 19 como fundamento legal.
Agradeço o imenso apoio que tenho recebido da população e, quero dizer que, meu incentivo maior ao povo será sempre para “lutarem por seus direitos e nunca deles desistir, pois todo poder emana do povo” lembrando ainda que, para que esta máxima constitucional prevaleça, é preciso que o povo se manifeste perante o poder público e não se cale diante de tentativas de intimidações ou ameaças ilegais.
João Pessoa, 02 de maio de 2020.

Michele Assis

Coordenadora Geral do Movimento Direita Paraibana


Da Redação

Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.