OPINIÃO & FÉ: o que fazer em tempo de crise?

Leia Isaías 38: 1-8

Você já passou por alguma crise? Um cristão vivenciar tempos de adversidades pode ser um assunto difícil de abordar, por causa do pensamento equivocado dominante em nossos dias. Alguns acreditam que a vida piedosa, cheia de fé e pensamento positivo, os isentará de dificuldades.

O profeta Isaías, por muitos anos, conclamava os reis de Judá a buscarem o perdão de Deus por meio do arrependimento, a fim de que a nação fosse poupada. Sua oferta foi rejeitada. Deus mandou o seu servo profetizar a sentença judicial, condenando a nação ao exilio. Ao mesmo tempo em que era uma retribuição justa,  o fato tornou-se uma medida de misericórdia. Embora o profeta pronunciasse destruição, ele sabia que o amor santo, o zelo dedicado e o arrependimento sincero restaurariam a compaixão de Deus.  Por meio do ministério de Isaías, o rei Ezequias e seu povo se voltaram para Deus com retidão, e o poder da Assíria não pode atacar Judá. Na ocasião de perigo, quando a nação parecia dar o seu último suspiro, o profeta se coloca como intercessor, e Deus lhe concedeu libertação.

Ezequias é mencionado como um grande e bom rei, que seguiu o caminho do bisavô, Rei Uzias. Ele aboliu a idolatria e realizou uma grande reforma em Judá. Seu problema começou, quando se recusou a aceitar o tributo, que seu pai havia pagado ao rei da Assíria. Será sempre assim, os inimigos da vida não permitirão que você se retire sem lutar. A decisão levou à invasão de Judá por Senaqueribe e seu exército. Eles tomaram 40 cidades e sitiaram Jerusalém. Finalmente, Ezequias cedeu às exigências do rei assírio e concordou em pagar-lhe 300 talentos de prata e 30 talentos de ouro. Senaqueribe negociou traiçoeiramente com Ezequias e invadiu Judá novamente dois anos depois.

Mesmo antes de sua situação com o Rei da Assíria ter sido resolvida, Ezequias ficara muito doente. Enfraquecido, recebeu a mensagem perturbadora do profeta de Deus: “Assim diz o Senhor: Põe a tua casa em ordem, porque morrerás e não viverás.” v.1. Que mensagem pertinente! Isso nos lembra que é nosso dever preparar-nos para a morte, antes que ela se aproxime. Embora o bom rei de Judá fosse altamente favorecido por Deus, não estava isento de enfermidades. O texto nos ensina algumas verdades:

A crise não deve ser uma surpresa - Todo homem naturalmente tem alguns dias, e eles estão cheios de problemas! Olhando a vida de Jó, podemos afirmar: “no meio da vida, estamos na morte.” As adversidades chegam a todos, enviadas por Deus, ou por Satanás. O Diabo as utiliza para roubar, matar e destruir; Deus as usa para nos aperfeiçoar.

O Apóstolo Tiago, inspirado pelo Espírito Santo, declarou: “Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança.  E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma. ” Tg 1:2-4. Jesus nos advertiu de que, no mundo, teríamos aflições, mas precisamos ter bom ânimo. Assim, não se surpreenda, quando atravessar pelas lutas desta vida.

A crise deve  levar-nos a reconhecer e acolher a Palavra de Deus – Isaias costumava ser o mensageiro de Deus de boas novas. Contudo, neste caso, Deus manda avisar a Ezequias acerca de sua morte. É maravilhoso observar o profeta falando claramente por Deus e apenas aquilo que Ele mandou. Impressiono-me com a atitude do Rei ao receber a Palavra de Deus. Sua única palavra ao profeta foi: obrigado! Devemos acolher a Palavra de Deus, seja ela agradável ou não. Em tempos de crises a melhor orientação para nos conduzirmos encontra-se nas Sagradas Escrituras. Ela é lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos.

Tempo de crise é uma oportunidade para a oração – Em qualquer situação, doença, aflição, desastres, calamidades ou tentação, a oração é o grande instrumento de alívio. Quando colocamos os corações diante do Senhor, teremos conforto em toda desgraça e até alegria na hora da morte. Quão grande consolo, se nossa consciência nos dá testemunho no Espírito Santo de que andamos na presença de Deus. Quando, com simplicidade e sinceridade piedosa, temos nossa conduta e conversas agradáveis a Deus, Ele não deixa de ouvir nossas orações, e não apenas isso, considera todas as lágrimas que caem dos olhos de seus filhos e lhes dará rapidamente as vestes de louvor.  (I Jo 5:14-15)

Depois de suportar fielmente uma crise, espere a resposta de Deus -  vv 4-8.  Deus sabe como torná-lo perfeito e restaurado. Ezequias orou, suplicando que Deus poupasse sua vida, mas o Senhor envia também prosperidade a Sião. Deus fez mais do que o seu servo pediu. O rei recebeu a restauração da saúde, libertação para sua cidade e paz para seu povo. Finalmente, Deus concedeu-lhe um milagre admirável, para servir de confirmação da sua fé.

Deus não mudou, continua o mesmo. Não desamine diante dos problemas, reconheça e acolha Sua Palavra no coração, apresente-se a Ele em oração, com ações de graças, e tenha fé na Sua divina providência.

           

Rev. Liberato Pereira dos Santos
Pastor da Igreja Presbiteriana Boas Novas, Rondonópolis-MT 

Nenhum comentário:

Caco Pereira Comunicação & Consultoria. Tecnologia do Blogger.